Publicado em 29/04/2017 às 12h29

Escola Agrícola de Serra dos Aimorés poderá ser reativada

Se os trâmites seguirem o cronograma previsto, as aulas poderão ser iniciadas no início de 2018

1150

O prefeito de Serra dos Aimorés, Iran Cordeiro, recebeu, no dia 27, Ricardo Ferreira Vital, representante da Associação Mineira das Escolas Família Agrícola – AMEFA. O objetivo do encontro foi estabelecer negociações com a finalidade de reativar a Escola Agrícola do município e reintegra-la ao sistema educacional de Serra dos Aimorés. A reativação prevê ainda, a implantação do curso de segundo grau.

Criada pelo ex-prefeito Célio Pinto, nos anos 80, a escola exerceu papel fundamental no ensino da região, educando alunos, não só do município sede, mas também de cidades circunvizinhas. Desativada em 2009, a escola carece de investimentos para sua reativação.

O prefeito Iran Cordeiro disse que a reativação da escola trará oferta de vagas ao setor e permitirá a futuros alunos, obter uma educação voltada ao segmento agrícola. “Nossa região é de cultura agrícola. O agronegócio é o setor produtivo que comanda nossa economia e uma escola desse setor, vai educar nosso jovem e prepara-lo para exercer funções especificas na produção do campo.”

Escola Agricola 1

Ricardo Ferreira Vital, assessor pedagógico, acompanhado de Iran Cordeio de Luciano Loiola, visitou as dependências físicas da Escola e durante a vistoria, apresentou a metodologia de ensino da instituição. Ele apontou a viabilidade de reativação da escola se uma mobilização de toda sociedade for envolvida no processo.

Ficou estabelecido entre Vital e as autoridades de Serra dos Aimorés, a realização de um seminário previsto para acontecer dentro de 90 dias. Nesse encontro, a presença de setores empresarial, religioso, sindicatos rurais, associações rurais, famílias rurais, representantes dos poderes Executivo e Legislativo e na pauta o assunto envolverá a crença na educação como instrumento de transformação.

Coube ao secretário municipal de Educação, José Rodrigues e ao secretário municipal de Agricultura a missão de mobilizar setores interessados para se definir estratégias de trabalho com vistas a execução do projeto de reativação da Escola Agrícola de Serra dos Aimorés, através do sistema “Escola Família Agrícola”.

O sistema tem o aval do Governo do Estado de Minas Gerais e do Ministério da Educação. O estado de Minas Gerais conta com 21 núcleos de Escola Família Agrícola e desse montante, o Vale do Mucuri conta com duas unidades sendo uma no município de Itaobim e outra em Malacacheta.

Escola Agricola 2

Animado com a possibilidade de reativação da escola, o prefeito Iran Cordeiro disse que dará apoio ao projeto e se for o caso, entrará com um termo de concessão em favor da AMEFA na Câmara Municipal para ser votado. “Mas todo o processo precisa ser tramitado no MEC (Ministério da Educação) e na Secretaria de Educação de Minas Gerais. Se tudo correr dentro do que estamos prevendo, a escola estará funcionando já no início de 2018”, ressaltou Cordeiro.

 

Quem é a AMEFA?

A Associação Mineira das Escolas Família Agrícola – AMEFA, criada em 24 de julho de 1993, é uma Entidade Civil, sem finalidade econômica, que congrega 18 Associações Escolas Família Agrícola para a promoção educacional, coordenação, animação e representação das Escolas Famílias Agrícolas – EFAs do Estado de Minas Gerais. Sua missão é contribuir para que as EFA’s desenvolvam uma formação integral e personalizada de jovens trabalhadores rurais e suas famílias, em harmonia com o meio ambiente; articulada com valores humanos, cristãos, técnico-científicos e artístico-culturais; centrada em políticas de geração de trabalho e renda familiar, na perspectiva do fortalecimento da agricultura familiar, da Educação do Campo e da solidariedade e sustentabilidade no campo.

Uma EFA é uma Escola Comunitária, sem finalidade econômica formada a partir de uma associação de famílias de agricultores familiares, instituições e/ou pessoas afins que, organizadas, a criam para oferecer educação apropriada aos seus filhos. Este modelo de escola adota a Pedagogia da Alternância originária na França que consiste em alternar a formação de adolescentes e jovens em um período de estudos e aprofundamentos na escola e outro de aplicação, indagação e questionamentos da realidade sócio-profissional no meio em que os estudantes vivem.

A AMEFA foi criada porque as primeiras EFAs mineiras surgiram de forma dispersa e por iniciativas de forças sociais diversas. Por falta de uma coordenação a nível estadual afinada com os princípios da Pedagogia da Alternância e do movimento das EFAs; pelo pouco conhecimento da verdadeira Pedagogia da Alternância e por falta do protagonismo das famílias, algumas EFAs assim que iniciaram, logo perderam as características originais. A necessidade de uma associação regional representativa e coordenadora da proposta educativa por alternância em Minas Gerais já era discutida desde o início dos anos 90. As discussões tomaram corpo a partir de 1991 e se estenderam até a data da instituição da AMEFA em julho de 1993.

(Fonte SALVADOR LIMA)

Tópicos


Publicidade

Últimas Notícias