Publicado em 25/09/2019 às 20h54

MAIS UM ESCÂNDALO ENVOLVENDO MUCURI

Desvio de verbas da merenda escolar é o foco do momento

432

O vereador Professor Roberto fez sérias denúncias, dia 10 de setembro, durante sessão da Câmara Municipal daquela cidade. Desta vez a suposta falcatrua envolve dinheiro da merenda escolar, gerando suspeitas sobre as secretarias de Educação e Agricultura, com envolvimento do então secretário Sóstenes Mendes Cardoso.

Vereador Professor Roberto


O vereador Professor Roberto anunciou que tem consigo, informações e vasta documentação que envolve não somente os secretários das duas pastas, como também o prefeito Carlos Simões. Por conta disso, prometeu entrar com ação junto ao Ministério Público Federal, para que os fatos sejam apurados e devidamente esclarecidos pelas autoridades envolvidas. “Tivemos acesso a documentos que comprovam a roubalheira dos envolvidos. Constatamos a existência de uma Nota Fiscal Avulsa, de número 312481/2019, no valor de R$ 22.522,80, emitida em 02.08.2019 e pago no mesmo mês, para compra de inhame”, revelou Roberto.

Alunos devem ficar comendo inhame por um bom período


As acusações não param por aí. Roberto revelou que o prefeito aumenta as suspeitas quando nomeia, como novo secretário de Agricultura, um velho conhecido da gestão desastrosa de Simões – o funcionário Relson José Verdiano dos Santos. Segundo o vereador, Santos não tem nenhuma aptidão para o cargo. “O Relson já anunciou sua pré-candidatura a vereador nos quatro cantos do município e que beneficiou uma associação de produtores rurais, cuja presidente é a sua mãe, Geni Maria Mendes. O prefeito Carlos Simões, assume a existência do ato ilícito ao publicar no Diário Oficial a exoneração do secretário de Agricultura, Sóstenes”, acusou o vereador.
Roberto continua as acusações ao revelar que na Chamada Pública, publicada no Diário Oficial do município do dia 24.05, página 14. Segundo ele, ela abre caminho para o plano de saquear os recursos da merenda escolar. “Tivemos acesso ainda ao documento que comprova a ligação familiar do ex-secretário Sóstenes em substitui a titularidade do CNPJ da associação ligada a seu próprio nome, para o nome da sua mãe, fato que caracteriza o benefício direto ao secretário”.
A situação continua complicada e, segundo o vereador, caberá ao Ministério Público esclarecer os fatos que aos olhos da população, continua nebuloso.

(Fonte EM TEMPO)

Tópicos


Publicidade

Últimas Notícias