Publicado em 30/06/2017 às 22h53

POPULAÇÃO PROMETE MOBILIZAÇÃO CONTRA A DOAÇÃO DA PRAÇA

À toque de caixa Câmara dá de mãos beijadas a Praça dos Estudantes para Polícia Civil

2165

Por Salvador Lima

No dia 26 de junho, o prefeito municipal Roberto de Jesus, entrou com um Projeto de Lei na Câmara Municipal de Nanuque, para doar o terreno onde hoje está localizada a Praça Professor Otto (Praça dos Estudantes). Os motivos que levaram o Executivo a tramitar em regime de urgência o referido projeto causou estranheza na população. A Câmara, por sua vez, acatou todas as exigências de Roberto de Jesus e aprovou o referido projeto no dia 28, para tanto, foi aprovado também, alteração na Lei Orgânica do Município. Através de argumentos frágeis e pouco convincentes, a presidente da Mesa Diretora fez o projeto passar por cima do Regimento da Casa, onde o mesmo, não tramitou na Comissão pertinente, colocando-o em votação durante Sessão Extraordinária.

A notícia de aprovação da doação da Praça Professor Otto (Praça dos Estudantes), à Polícia Civil do Estado de Minas Gerais causou um impacto negativo, revoltando a sociedade de Nanuque.

Praça dos Estudantes tendo ao fundo o Colégio Santo Antônio

O local fica entre o Colégio Santo Antônio e a Igreja Católica de São José Operário. Tem ainda no seu entorno, o Grupo Escolar Governador Bias Fortes, academias de ginástica e lojas comerciais, que dão à região, fluxos consideráveis de pessoas e de veículos.

O que não ficou claro foi o motivo que levou o Executivo a apresentar o Projeto na Câmara em regime de urgência. O jornal EM TEMPO apurou que os vereadores foram convencidos a votar em regime de urgência. Eles disseram que a cidade de Nanuque corria o risco de perder sua Regional. Outro ponto ainda mais estranho é que o Governo do Estado exige um terreno com mais de 3.000 m² em área central da cidade. Como o município não possui uma área nesses termos, o prefeito Roberto de Jesus resolveu fazer a caridade para a polícia.

MENTIRA

Quem plantou, junto aos vereadores, a notícia de que o terreno deveria ser na área central da cidade, mostrou desconhecimento quanto às exigências do Governo do Estado. No dia 14 de maio deste ano, o jornal Diário do Aço publicou uma notícia informando que a Regional de Ipatinga, que fica na área central da cidade, foi considerada inadequada para atender a demanda da delegacia. Para resolver o problema, o delegado regional, Helton Cota, pediu ao prefeito Sebastião Quintão (PMDB) que disponibilizasse uma área para a construção de uma nova sede. Quintão encaminhou à Câmara Municipal de Ipatinga, um Projeto de Lei, onde a municipalidade disporia de uma área de 2.806m² no Distrito Industrial, periferia da cidade. O delegado regional, Helton Cota, comemorou o ato do prefeito ao declarar: “Mesmo sendo fora do Centro, o terreno atende todas as exigências do Governo de Minas e também da população de Ipatinga. No Distrito Industrial, o terreno é plano, o lote tem capacidade de abrigar a delegacia e o IML. Além disso, a acessibilidade é boa e o transporte coletivo circula no local”.

Delegado Regional de Ipatinga, Helton Cota. Foto: Wôlmer Ezequiel

A cidade de Ipatinga, segundo o senso de 2010, possui uma população em torno de 239.468 habitantes e terá uma nova delegacia em sua área periférica, construída em um terreno menor que 3.000 m² e o fato é comemorado pela Polícia Civil do Estado. A notícia de que Nanuque, cidade com pouco mais de 40.000 habitantes, necessita de uma delegacia na área central, construída em um terreno com mais de 3.000 m² é suspeita e mereceria dos vereadores locais, uma investigação mais apurada. No entanto, eles preferiram agir de maneira infantil, para não dizer irresponsável.

“Nunca em toda história legislativa da cidade, houve uma safra de vereadores tão ruins como essa. Eles parecem dizer amém a tudo o que o prefeito Roberto de Jesus pede”, disse um funcionário da Prefeitura que, por motivos óbvios, pediu para não ser identificado.

“Outro ponto a ser considerado com relação à Praça Professor Otto é o fato de que, até o presente momento, as administrações não tiveram competência para revitalizar o local, mas não podemos privar as gerações futuras de transformar aquela área em algo que dê orgulho à Nanuque”, disse o mesmo funcionário.

Vereador Aranha Ruas, defensor da preservação da Praça dos Estudantes 

O vereador Aranha Ruas (PSD) estava em Belo Horizonte no momento da votação dos Projetos de Lei do Executivo. Na Capital do Estado, Ruas manteve encontros políticos com deputados estaduais. Ele contou que na oportunidade apresentou um projeto de revitalização da Praça Professor Otto e o documento foi muito bem recebido e elogiado pelo parlamentar. Aranha também contou, que recebeu do deputado, a promessa, que, ainda neste mandato, dará encaminhamento de uma emenda orçamentária para a liberação dos recursos.

“Fica difícil entender o motivo que leva um prefeito de uma cidade destruir uma praça para construir um prédio. Além do mais, a área tem no seu entorno, dois colégios, uma igreja, lojas e academias. Com a construção da delegacia aquilo tudo vai virar área de segurança, e o ir e vir da população, ficará limitado. O prefeito pisou feio na bola”, disse o técnico em eletrônica, Robson Rios.

(Fonte Salvador Lima)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias