Publicado em 05/02/2019 às 18h23

Posse dos parlamentares dá início à 19ª Legislatura

Consternação pelas centenas de mortes no rompimento de barragem em Brumadinho marcou a cerimônia no Plenário

144

A marcha fúnebre executada por um bombeiro militar em homenagem às vítimas do rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, marcou a solenidade de posse dos parlamentares da 19ª Legislatura, no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta sexta-feira (1/2/19).

A reunião foi presidida pelo parlamentar mais idoso, Hely Tarqüínio (PV), de 78 anos, que abriu a cerimônia citando o sentimento de dor e de pesar de todo o povo mineiro representado no Legislativo e expressando a solidariedade humana e espiritual aos familiares e amigos das vítimas. “Asseguro a todos que a ALMG não faltará ao seu dever de enfrentar e superar os desafios para garantir que fatos como esse não se repitam”, afirmou.

A menção do presidente ao “trabalho heroico” do Corpo de Bombeiros Militar de Minas, no resgate das vítimas em Brumadinho, provocou o aplauso de todos os presentes. Ele citou ainda as outras forças policiais e de defesa civil, bem como os voluntários, vindos também de outras localidades. Além da marcha fúnebre, houve ainda um minuto de silêncio dedicado às vítimas.

A Mina Córrego do Feijão, de propriedade da mineradora Vale, se rompeu há uma semana, no dia 25 de janeiro, destruindo unidades administrativas da própria empresa e uma extensa área no seu entorno. O número de mortes confirmadas e de desaparecidos chega a 350. Há, ainda, impactos ambientais, como a contaminação do Rio Paraopeba.

Posse – Após o Hino Nacional, interpretado pela cantora lírica mineira Elizete Gomes, o deputado Hely Tarqüínio prestou o juramento e assinou o compromisso de posse, prometendo “defender e cumprir as constituições e as leis da República e do Estado, bem como desempenhar, leal e honradamente, o mandato que me foi confiado pelo povo mineiro”.

O deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT), que atuou como 1º-secretário, fez a chamada de deputados e deputadas, que também prestaram o compromisso e assinaram o termo de posse. Hely Tarqüínio declarou empossados os parlamentares e instaladas a 19ª Legislatura e sua 1ª Sessão Legislativa Ordinária.

Veja um panorama da nova ALMG.

Governador volta a pedir apoio contra a crise

Governador pediu a reflexão dos parlamentares para a aprovação de matérias necessárias
Governador pediu a reflexão dos parlamentares para a aprovação de matérias necessárias - Foto: Guilherme Bergamini

Em pronunciamento no qual transmitiu a mensagem do Poder Executivo aos parlamentares da nova legislatura, o governador Romeu Zema voltou a pedir um pacto de todas as forças políticas para tornar Minas viável novamente. Ele apresentou números que dão a dimensão da crise fiscal do Estado, como o passivo de R$ 30 bilhões, a dívida pública de R$ 114 bilhões e a previsão de deficit orçamentário de R$ 12 bilhões para este ano.

O governador reiterou que fará a adesão ao regime de recuperação fiscal da União e pediu a reflexão e o apoio dos parlamentares para a aprovação de matérias necessárias ao momento de crise. Ele salientou que o eleitor demonstrou nas urnas o desejo de mudança e de uma gestão ética e séria dos recursos públicos.

Para Zema, é preferível a verdade, ainda que inconveniente, ao discurso “demagógico” que levou Minas à falência. “Será o período político de maior escrutínio público de todos os tempos”, previu, citando as redes sociais. Ele ainda reiterou que vai mostrar o que está sendo realizado e quem ou o quê estiver impedindo as ações.

“Temos a oportunidade histórica de formar uma aliança para Minas sair da crise maior do que entrou”, finalizou Romeu Zema, pedindo paz, união e diálogo.

Sobriedade – A cerimônia anteriormente programada pela Assembleia foi alterada em função do desastre ocorrido em Brumadinho. Foram suprimidos, no Espaço Democrático, ritos solenes como o cumprimento dos representantes de outros poderes do Estado, a recepção dos parlamentares pelos prefeitos e presidentes de câmara, as honras militares e a apresentação de banda de música, entre outros.

As bandeiras também ficaram a meio mastro e, na cerimônia de Plenário, foram dispensadas a ornamentação e a apresentação artística. O tempo de solenidade e a área reservada para os eventos também foram reduzidos.

Nas imediações da Assembleia e nas áreas abertas ao público, houve manifestações em função do rompimento da barragem em Brumadinho e do pagamento parcelado dos salários e do 13º do funcionalismo estadual.

Alguns ritos foram suprimidos e a solenidade foi simplificada, em função do desastre em Brumadinho
Alguns ritos foram suprimidos e a solenidade foi simplificada, em função do desastre em Brumadinho - Foto: Guilherme Bergamini

Mesa – Compuseram a mesa da solenidade, além dos citados, a deputada Andreia de Jesus (Psol), como 2ª secretária; o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Nelson Missias de Morais; o vice-governador, Paulo Brant; o procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet; e o defensor público-geral, Gério Patrocínio Soares.

Também estavam na mesa o Conselheiro Corregedor do Tribunal de Contas de Minas e ex-presidente da ALMG José Alves Viana (Dr. Viana); o vice-prefeito de Belo Horizonte, Paulo Lamac; a reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida; o vereador Altair Gomes, representante da Câmara Municipal de Belo Horizonte; e o ex-governador e ex-presidente da ALMG Alberto Pinto Coelho.

Entre os presentes à cerimônia estavam, ainda, outros dois ex-presidentes da ALMG, Romeu Queiroz e Antônio Júlio.

(Fonte ALMG)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias