Publicado em 14/12/2016 às 22h15

Prefeito de Serra dos Aimorés propõe concessão de 20 anos em patrimônio do município

Ao dar entrada com Projeto de Lei na Câmara Municipal da cidade, ele desfaz, de modo suspeito, de um patrimônio estimado em R$ 2 milhões.

3477

Agripino “O Caridoso”

O prefeito de Serra dos Aimorés quer mesmo encerrar seu governo com chave de ouro. Para tanto ele acaba de dar entrada na Câmara Municipal com o Projeto de Lei nº 96 de 09 de dezembro de 2016, que parece mais uma daquelas ações obscuras de final de mandato – ele quer conceder direito real de uso de bem público para uma empresa, um terreno da municipalidade com valor estimado de R$ 2 milhões. No Projeto de Lei tem erros e controvérsias. Não consta o valor do imóvel através de uma avaliação séria e oficial. É muita generosidade, reconhece o povo de Serra dos Aimorés. A data marcada para acontecer a votação é no dia 15/12, às 19 horas, no plenário da Casa do Povo.

A suspeição chega na hora de avaliar o merecedor desse presente de Natal. Trata-se de uma empresa denominada IESP – Instituto de Ensino Superior Prosperar Ltda. O que causa maior dúvida é que o IESP é uma entidade de ensino particular, cujo endereço é o mesmo dos donos. Parece que o prefeito Agripino Botelho Barreto quer mesmo ficar na história da cidade como benemérito e caridoso.Sua ação que será com o chapéu alheio, trará um prejuízo estratosférico para a municipalidade. Assim fica fácil.

O presente que o prefeito oferece ao IESP, cujo capital social não passa de R$ 20 mil, é no mínimo surreal. Município pobre, sem verbas o suficiente para se auto administrar, de repente e não mais que de repente, resolve desfazer de um patrimônio, que até então, tem sido um orgulho para a cidade. A área de doação tem 34,5 alqueires, bem localizados, no acesso à BR 418, onde funciona a Escola Agrícola e as secretarias de Educação e Agricultura, Emater, laboratórios.

A empresa que poderá ganhar esse maravilhoso presente do povo de Serra dos Aimorés, através do prefeito Agripino, existe há pouco mais de 1 ano, funciona numa sala na cidade de Pinheiros-ES e não se tem notícia de que ela, como escola, possui 1 aluno sequer. Cabe à Câmara Municipal da cidade por juízo na cabeça de Agripino!

Inúmeros munícipes fizeram contato com o jornal EM TEMPO, revoltados com a situação. Alguns chegaram a definir essa medida como aberração de um prefeito que pouco ou nada fez pela cidade ao longo de um mandato tenebroso. “A Câmara Municipal não pode aprovar um Projeto de Lei dessa natureza. Isso é um crime e uma grande traição para com o povo serrense”, disse um morador que pediu para não ser identificado.

Para outro morador de Serra dos Aimorés, este Projeto de Lei tem que parar nas mãos do Ministério Público, “não tem cabimento, o povo de Serra está sofrendo muito com uma administração catastrófica, ainda querer entregar o que não é dele. Se algum vereador votar a favor do PL, para mim, ele não passa de um asno”, definiu um serrense.

Se o PL for aprovado, a medida desabrigará departamentos municipais e obrigará, o futuro prefeito, a pagar aluguel para instalar as secretarias da Educação e Agricultura e a Emater.

(Fonte EM TEMPO)

Tópicos


Publicidade

Últimas Notícias