Publicado em 07/01/2017 às 01h11

Superlotação em penitenciárias de MG é sem solução por 10 anos

'É um problema crônico, como um hipertensão, uma diabetes. Hoje não tem como resolver, mas tem como remediar', disse o secretário Prisional de Minas Gerais

663

Pimentel

O secretário de Administração Prisional de Minas Gerais,Francisco Kupidlowski, afirmou que o problema de superlotação nas penitenciárias mineiras é crônico e sem solução definitiva pelo menos nos próximos dez anos.

Ele se reuniu na tarde desta sexta-feira (6) com o governador Fernando Pimentel (PT) para apresentar um diagnóstico sobre a situação do sistema prisional em Minas e garantiu que apesar da superlotação está tudo sobre controle no Estado.

"A superlotação existiu ontem, existiu 20, 30, anos atrás, e vai existir nos próximos dez anos. É um problema crônico, como um hipertensão, uma diabetes. Hoje não tem como resolver, mas tem como remediar", afirmou.

O secretário frisou que não há um risco iminente de situações semelhantes aos massacres de Manaus e Roraima, com rebeliões e brigas de facções.

"O sistema prisional em Minas Gerais está tranquilo, sendo monitorado, com remoções estratégicas de alguns internos, com serviço de inteligência. Não temos integrantes das facções do Norte do país em Minas, já internos do PCC e Comando Vermelho existem em todo sistema prisional do Pais. Porém em Minas são poucos e estão sendo monitorados e mantidos separados", concluiu

O secretário se reuniu por mais de duas horas com o governador fez um rápido pronunciamento e respondeu poucas perguntas.

Kulpidlovski ainda afirmou que a saída para crise prisional é a humanização do sistema, tratando como cidadão os internos no sistema e valorizando os agentes.

(Fonte O TEMPO)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias