Publicado em 09/02/2019 às 12h17

VEREADORES QUEREM INÍCIO DO ANO LETIVO EM FEVEREIRO

Eles foram unânimes em admitir que iniciar as aulas no mês de março, irá trazer um prejuízo muito grande ao desenvolvimento do currículo escolar em 2019

172

Os vereadores, na última reunião da Câmara reivindicaram o reinício das aulas ainda no mês de fevereiro. A notícia que chegou ao legislativo dá conta de que o município de Nanuque estará alinhado às sugestões da AMM - Associação Mineira dos Municípios que, no dia 1º de fevereiro, em Belo Horizonte, sugeriu aos prefeitos que, como retaliação ao governo do Estado que não tem repassado as verbas municipais, que reinicie as aulas somente no mês de março, após o carnaval. 

Na verdade, a AMM fez esta proposta aos prefeitos que estavam presentes naquela assembleia, mas, diante da negativa de alguns prefeitos, ficou decidido pela prorrogação do início das aulas, mas o município que entender de forma diferente, estará liberado para começar em fevereiro. 

Os vereadores foram unânimes em admitir que iniciar as aulas no mês de março, irá trazer um prejuízo muito grande ao desenvolvimento do currículo escolar em 2019. 

 

Para o vereador e vice-presidente da Câmara, Antônio Carlos Aranha Ruas (PSD), é inadmissível o atraso. Ele diz que os repasses do Fundeb referentes ao mês de fevereiro ocorrerá e a prefeitura precisa gastar esse dinheiro no mês de fevereiro com o pagamento dos salários dos professores. Se não tem aula, não tem como destinar o dinheiro para a Educação’’, diz Aranha. 

Referindo-se aos protestos dos prefeitos de Minas, patrocinado pela AMM, o vereador Pastor Carlos Lucas considera estranho. Ele admite que os municípios estão em condição falimentar pela falta dos repasses nos últimos quatro anos, mas não pode aceitar que o estudante mineiro fique prejudicado. 

‘‘O problema envolvendo a falta dos repasses aos municípios de Minas Gerais levou a essa situação que estamos presenciando, mas o sequestro do dinheiro dos municípios começou durante o governo de Fernando Pimentel (PT) e a AMM não foi contundente nos protestos. O atual governador Romeu Zema (Novo) fez agora 30 dias de gestão e a AMM já se movimenta para pedir sua cassação. Isso é ridículo e não tem postura moral’’, finalizou. 

 

(Fonte EM TEMPO)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias