Publicado em 15/08/2020 às 09h46

De enfermeira à produtora rural: GQC abre portas para sucessão familiar em Gouveia

Orgulhosa das conquistas em tão pouco tempo, Adriane diz que reconhece a presença do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em basicamente tudo e tem muito a agradecer

289

Geraldo Magela Diniz Júnior e Berenice Maria Pinto Diniz, pais de Adriana

Desde 2018, Adriane Diniz, enfermeira, apenas aproveitava o período de férias para participar dos cursos e programas do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, até que ela percebeu que o pai, de 78 anos, produtor rural da região de Gouveia, precisava da ajuda da família para administrar a fazenda.

“Eu e meus irmãos só íamos a passeio. Nunca pensei que um dia estaria à frente da administração, ao lado meu pai e aprendendo com ele. Apesar da idade, sempre foi entusiasmado e essa mudança precisa acontecer rápido. Foi aí que encontrei amparo nos cursos do SENAR, que além de conhecimento trouxe mais motivação para nossa empresa rural”. Programa Gestão com Qualidade em Campo (GQC), Sucessão no Campo, Criação de Galinha Caipira, Casqueamento, e Qualidade e Derivados do Leite foram apenas alguns dos eventos que a agora produtora rural fez.

No início do ano, a aposentadoria de Adriane trouxe a oportunidade de dedicar mais tempo à fazenda. De acordo ela, sua trajetória é recente mas a sensação é que se passaram cerca de 10 anos, em vista dos resultados e conquistas. Em pouco tempo, conseguiram organizar muita coisa e a fazenda mudou em diversos aspectos. O local, atualmente, é inclusive palco de vários cursos do SENAR.

Adriane colocando e prática os conhecimentos sobre Derivados do Leite

Investimento e sucesso

“Agora, tudo que fazemos e produzimos é voltado para os padrões de comercialização. Em plena pandemia, investimos e fizemos um pequeno laticínio e produzimos, em média, 50 queijos por semana e 80 litros de iogurte, além de ricota e doce de leite. Comecei do zero a criação da galinha caipira; o casqueamento, que antes era feito por terceiros, é realizado pelos funcionários da fazenda, devidamente treinados; a qualidade do leite melhorou; a ordenha foi organizada; tivemos melhora considerável no gado com suplementação e pastagem adequada; e a equipe tem sido envolvida em todos os processos, dos treinamentos ao planejamento, visando sempre a questão da humanização,” explicou. 

Orgulhosa das conquistas em tão pouco tempo, Adriane diz que reconhece a presença do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em basicamente tudo e tem muito a agradecer, não só pela questão técnica, mas pela experiência que proporcionou amizades valiosas com instrutores e a oportunidade de conhecer e compreender a realidade de outros produtores. “Como conselho a quem quer seguir esse caminho: tem que ter persistência, buscar qualificação e valorizar cada passo. O resultado vem, mas é fruto dessas ações, em conjunto”.

Adriane com os colegas de turma do curso de Casqueamento

A produtora conta que os programas especiais fizeram a diferença e trouxeram mais segurança. Além disso, envolver os irmãos nessa transição foi importante. “Devo muito à mobilizadora do Sindicato Rural de Curvelo, Janaína Rodrigues, que me encorajou, e ao GQC e ao Sucessão no Campo, que me situaram dentro da família, trazendo a oportunidade de repensar a nossa história, dar continuidade aos negócios e tomar decisões mais assertivas na propriedade. Ver a felicidade dos meus pais é o que mais levamos em conta. Meu pai fica sentado na porta do laticínio que, apesar de pequeno, traz muito orgulho para ele. Ele pergunta sobre as vendas, se envolve, participa. Os olhos brilham e isso não tem preço. Sinto que estamos no caminho certo e é tempo de recomeços por aqui”, comemora.

Visão técnica

“Adriane Diniz é um belo exemplo de como os programas especiais como GQC e Sucessão no Campo podem mudar a vida das pessoas e a história de uma propriedade rural. A mudança de mentalidade, de produtora rural à empresária do agronegócio, trouxe a ela uma nova condição com foco na viabilidade econômica da propriedade. Com certeza, o Plano de Gestão da Qualidade para sua propriedade rural e o planejamento da sucessão foram compreendidos e elaborados com muita persistência e, ao colocar em prática, realizou as mudanças que viabilizaram o empreendimento. Essa é exatamente a proposta central e as transformações ocorrem à medida em que o planejamento é colocado em prática, passo a passo”, completou o gerente do escritório regional do Sistema FAEMG/SENAR/INAES em Sete Lagoas, Wander Magalhães.

A sede da fazenda da família

Por: Josiane Moreira, de Sete Lagoas

(Fonte FAEMG/SENAR)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias