Publicado em 31/05/2020 às 11h42

Metade do rebanho do Estado já foi imunizado contra febre aftosa

Os produtores rurais têm até o dia 30 de junho para vacinar seu rebanho de até 24 meses de idade

111

A primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa começou no dia 1º de maio e até o momento, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) registrou um percentual de aproximadamente 51% na comprovação de vacinação, o que corresponde a cerca de 361 mil bovinos e bubalinos vacinados. Os produtores rurais têm até o dia 30 de junho para vacinar seu rebanho de até 24 meses de idade.

Os municípios da região norte e noroeste do Estado apresentaram, até o momento, a maior cobertura vacinal com uma média de 53%, e os municípios da região sul e centro-serrana apresentaram uma média percentual menor, de aproximadamente 48%.

Segundo o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, o Ministério da Agricultura atendeu ao pedido do Instituto de prorrogar essa primeira etapa de vacinação até o final de junho, para evitar a aglomeração de pessoas nas lojas que vendem a vacina e nos escritórios do Idaf. “Também criamos mecanismos para facilitar a comprovação de vacinação com a forma on-line ou por terceiros, mas é primordial que o produtor não deixe para a última hora e vacine o seu rebanho", afirmou.

De acordo com o médico-veterinário e responsável pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa do Idaf, Porto Júnior, é fundamental que haja mais uma vez a adesão em massa dos produtores rurais para vacinação, tendo em vista que nessa etapa são vacinados os animais mais jovens que pertencem a faixa etária mais sensível à infecção pelo vírus. “O produtor deve fazer esse esforço para a proteção de seu patrimônio, não podemos correr o risco de termos mais um problema baixando a guarda para a febre aftosa, a vacinação ainda é o principal método de prevenção”,  alertou o médico-veterinário.

Para evitar o risco de contágio pelo novo Coronavírus (Covid-19), a comprovação da vacinação ou atualização cadastral deverá ser realizada, preferencialmente, de forma on-line pelo produtor rural. Dessa forma, o ele poderá realizar a comprovação de sua residência, de acordo com as orientações das organizações da saúde que determinam o afastamento social como a forma mais eficaz de combater o contágio pelo vírus.

Como fazer a comprovação on-line

Para fazer a comprovação da vacinação é só acessar o site  (www.idaf.es.gov.br/eslivredefebreaftosa). É necessário ter senha de acesso ao Siapec (sistema disponibilizado no site). Para quem ainda não tem acesso, é preciso solicitá-lo pelo e-mail da gerência local responsável pelo município da propriedade. Todos os e-mails das gerências estão disponíveis no site mencionado. Ao solicitar o acesso, o produtor precisa preencher e enviar o “Formulário de solicitação de senha”, conforme o modelo disponível no site do Idaf, e a cópia digitalizada do documento de identidade com foto.

Nesta etapa também será aceito o envio de declaração de vacinação por e-mail. O produtor rural deverá enviar o formulário “Declaração de Vacinação contra Febre Aftosa e Atualização do Rebanho”, preenchido e assinado, juntamente com a cópia da nota fiscal, para o e-mail da gerência local do Idaf responsável pelo município da propriedade.

O prazo para a comprovação da vacinação on-line pelo Siapec, dos bovinos e bubalinos com até 2 anos, ou a atualização cadastral daqueles acima dessa idade, vai até dia 30 de junho. Para os formatos de comprovação por e-mail ou presencialmente nos escritórios, o prazo é até dia 31 de julho.

Comprovação da vacinação nos escritórios

Exclusivamente neste ano, por conta da pandemia do novo Coronavírus, a entrega da declaração de vacinação nos escritórios do Idaf poderá ser feita pelo produtor rural ou por terceiros, evitando assim, o deslocamento de produtores rurais pertencentes ao grupo de risco.

Texto: Rafaely Lyra

(Fonte ASCOM/IDAF)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias