Publicado em 29/05/2020 às 07h48

Ricardo Salles fecha três unidades do Projeto Tamar

Bases do programa de conservação de tartarugas marinhas em Sergipe, Bahia e Rio Grande do Norte tiveram suas atividades encerradas

552
Ações da Petrobras contemplam projeto Tamar que completa 37 anos este ano com 35 milhões de filhotes protegidos - Foto: Agência Brasil/Arquivo

O Projeto Tamar, iniciativa dedicada à conservação de tartarugas marinhas, anunciou nesta quinta-feira, 28, o fechamento de três unidades, inclusive a primeira do país, em Sergipe. Em portaria publicada no “Diário Oficial da União”, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) anunciou a extinção das bases de Arembepe, em Camaçari, na Bahia; de Parnamirim, no Rio Grande do Norte; e de Pirambu, no Sergipe. Responsável pelo Tamar, o órgão é subordinado ao Ministério do Meio Ambiente, liderado por Ricardo Salles. 

O texto também traz a criação de uma base avançada do projeto em Salvador, na Bahia. Ainda segundo a portaria, 17 bases avançadas dos Centros Nacionais de Pesquisa e Conservação, incluindo uma unidade do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (Cecav) em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, só seguirão ativas se houver “necessidade de ações de pesquisa e conservação conduzidas pelo centro para a localidade, durante todo o período do ano, comprovada por meio dos projetos de pesquisa ou de conservação e de planos de trabalho aprovados”.

No fim da tarde, o ministro divulgou um comunicado na sua conta no Twitter, explicando a situação. Segundo o texto, assinado pelo presidente do ICMBio, Homero de Giorge Cerqueira, a proposta de fechamento das unidades partiu do próprio Tamar e foi feita no fim do ano passado, já que os locais deixaram de contar com servidores que realizassem as atividades finalísticas. Além disso, segundo a nota, o encerramento permitirá uma melhor alocação de recursos do ICMBio.

(Fonte OTEMPO)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias