Publicado em 29/10/2021 às 23h10

SEM COMBUSTÍVEL, CPI DA KOMBI AMARELA CONVOCA COLETIVA DE IMPRENSA PARA IR DO NADA A LUGAR NENHUM

Comissão com o intuito de atrapalhar administração de Mucuri perde a direção

566

A comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) 150/2021 instaurada pela câmara de vereadores para apurar supostas irregularidades em locação de veículos pela prefeitura de Mucuri, dentre elas a famosa Kombi amarela, convocou uma entrevista coletiva pra a tarde desta sexta-feira (29) no plenário da câmara de vereadores. O objetivo seria esclarecimentos sobre os andamentos da comissão processante, mas o que observou, por parte dos membros da CPI, foi um emaranhado de desinformação, fator que acabou gerando ainda mais questionamentos por parte da população a respeito da condução desta comissão processante por parte dos vereadores.
 

 
Segundo os vereadores que compõem a comissão processante, Dhow da Divisa (PROS) presidente da comissão, Willian Crisma (REPUBLICANOS) relator e Xandão Seixas (PSC) membro da comissão, eles não tinham nada para falar pois ainda não conseguiram ouvir o Prefeito Robertinho, o principal denunciado na CPI. O curioso desta coletiva foi que por muitas vezes os mesmos vereadores afirmaram ter concluído parte das investigações e que tinham de posse da comissão uma defesa prévia do prefeito, mas que mesmo assim não tinham nada para falar, exceto pedir ajuda da população para localizar o senhor Roberto Carlos Figueiredo Costa (Robertinho). 
Precipitação, amadorismo, falta de assessoria ou criar um fato político, qualquer uma dessas observações ou todas elas. Essa foi a percepção dos presentes no plenário da câmara e dos que acompanhavam a coletiva ou pelo Youtube ou pela rádio 3 Corações FM, fazendo gerar no município uma outra pergunta: quais as reais fundamentações para a instauração da comissão processante? Ao serem questionados por nossa reportagem sobre o que a comissão tinha para apresentar, o vereador Xandão Seixas (PSC) foi bem objetivo: Não temos muito!  
 
Muito se esperava desta entrevista coletiva, na tarde desta sexta-feira, 29, mas que muito bem poderia ser uma sexta-feira 13, pelo menos para os vereadores que tiveram uma tarde de filme de terror. O que foi projetado para ser uma ação de transparência da CPI se revelou um verdadeiro “tiro no pé”. Para o bem dos fatos e sem prejuízos a respeito da boa fé dos membros da comissão, o que ficou posto é que por hora a comissão processante bate cabeça, vaga meio que sem rumo e evita perguntas objetivas como culpabilidade do prefeito, robustez do material já colhido e o quanto avançadas as investigações estão. A impressão que fica é que a CPI da Kombi amarela está com o combustível adulterado!
 
Por: Notícia10
(Fonte notícia 10)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias