Publicado em 13/08/2017 às 09h27

Atrações do Governo mobilizam público no quarto dia da Campus Party

No espaço do Governo, o público também teve a oportunidade de conhecer as novidades sobre games.

64

Neste sábado (12), o último dia da área gratuita da Campus Party Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador, atraiu público de todas as idades interessado nas novidades da tecnologia. Os simuladores de realidade do estande do Governo do Estado foram as atrações mais disputadas. Entre as experiências, foi possível realizar um sobrevoo de ultraleve, na Chapada Diamantina, e pilotar um avião da Força Aérea Brasileira. “Achei muito legal e interessante também as informações que aparecem durante a viagem”, disse o estudante Lucas da Rocha, que afirmou ter sentido até frio na barriga durante a simulação.

Também mobilizou o público o Desafio Hackathon, que durou 48 horas, e premiou uma das equipes que apresentou soluções para acesso ao trabalho, mobilidade e gestão sustentável da água. Uma multiplataforma para busca de emprego estava entre os projetos. “Nossa proposta é de criar um ambiente não burocratizado, ou seja, promover uma facilidade para ambos os lados (empregador e trabalhador), poderem se inscrever. Muitas vezes, a procura por emprego é árdua e dolorosa, tem que pegar ônibus, enfrentar filas. A ideia é associar tecnologia e governo”, explicou Ícaro Leite, estudante de Sistemas de Informação. 

Outro integrante do grupo, José Silva, também estudante da área de tecnologia, falou do diferencial do projeto. “O principal diferencial desse projeto é que a gente tenta dar o poder para o candidato. Se você para pensar nos sistemas que existem hoje em dia, as empresas estão no poder. Mas, se você dá o poder ao candidato, que é quem realmente quer a vaga, que tem as habilidades, ele consegue escolher as vagas que ele quer, baseado nas habilidades dele”, ressaltou o universitário. A equipe, que passou 48 horas executando o projeto, sem dormir, e ainda contou com mais três participantes - os estudantes Juliana Santana e Kevin Oliveira, além da designer Ana Amélia -, poderá desenvolver seus projetos junto com o Governo do Estado.

No espaço do Governo, o público também teve a oportunidade de conhecer as novidades sobre games. O jogo ‘Deu Zika’ fez sucesso com a garotada. “Dentro do jogo, a pessoa só avança por meio do conhecimento. Ele vai jogando, e, dentro dessa brincadeira, de forma lúdica, a gente passa informação, conscientização, prevenção sobre a doença, todos os problemas que são causados por ela e a forma de combater o mosquito. Tudo isso em forma de quiz [ jogo de perguntas e respostas]”, explicou Jai Souza, CEO da Moovi Estúdios, empresa que desenvolveu o game. O estudante Enzo Trindade, 11 anos, disse que amou. "Quando eu souber como é que eu vou conseguir esse jogo, vou direto comprar ele”. O jogo deve estar disponível dentro de 30 dias, na web e no Facebook da empresa.

As crianças tiveram uma programação exclusiva. No Espaço Kids, a tecnologia ganhou a companhia da leitura tradicional. “Esse é um projeto que acredita que a tecnologia pode estar aliada à literatura infantil para permitir que a mesma seja ainda mais interessante para a criança. Então, a gente cria um livro que é da própria criança. Ela é o personagem principal da sua própria história. Cada criança pode criar o seu personagem e o livro vai ter o nome dela e do personagem nessa pequena grande aventura”, enfatizou a escritora Emília Nunez, autora do projeto da startup Tibi. O livro pode ser construído por meio do site da empresa.

A ideia de ter um livro personalizado agradou aos amigos João Gabriel e João Pedro. “Eu achei muito inspirador e muito legal porque você pode fazer sua própria história e vai ter uma pequena aventura, dinossauros, piratas, animais selvagens, muita coisa”, afirmou João Gabriel, 11. “Eles foram muito criativos por ter essa ideia de fazer um livro em que você pode ser, se vê como o personagem principal", declarou João Pedro, 10.

Ainda na Open Campus, a etapa baiana da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) foi realizada dentro da Campus Party. A parceria atraiu mais visibilidade para a disputa. “Isso foi um grande ganho por causa do público presente. A OBR, anteriormente, era muito restrita. Agora, não. Todo mundo está conhecendo e, ano que vem, a gente vai com certeza ter mais participantes”, ressaltou o membro da Comissão Organizadora da OBR Bahia, Justino Medeiros.

Conhecimento

Na área reservada ao público pagante, palestras, oficinas e encontros fizeram parte da programação. No Campus Lounge, o Governo do Estado promoveu atividades descontraídas, como o bate-papo transmitido ao vivo pela internet entre fãs da saga Star Wars. O futuro do trabalho também foi tema de palestra. “Estamos fabricando desempregados e, aqui, discutindo o que se tem que mudar na educação, seja no ensino fundamental, médio e universitário, para que a garotada esteja preparada para enfrentar esse tipo de situação”, afirmou o presidente da Campus Party, Francesco Farruggia, um dos participantes do debate. O outro convidado foi o sociólogo e ex-ministro do Trabalho, Miguel Rossetto.

(Fonte SECOM)

Tópicos


Publicidade

Últimas Notícias