Publicado em 13/07/2018 às 14h19

DASA INICIA MOAGEM DA SAFRA 2018

Comparando com a produção de 2017, diretores preveem um aumento em torno de 50% para 2018. A produção deverá superar as 650 mil toneladas

232

O empresário Délio Nunes Rocha recebeu em seu gabinete localizado na Dasa repórteres do jornal EM TEMPO e na oportunidade, ele anunciou que a empresa iniciou, dia 03 de julho, o processo de moagem de cana referente a safra 2018/19. Ele contou que houve um aumento considerável de fornecedores e que isso proporcionará um aumento em torno de 50% na produção em 2018. ‘‘Em 2017 trabalhamos com 450 mil toneladas e em 2018 deveremos ultrapassar a casa das 600 mil toneladas. Isso mostra que o produtor rural está acreditando na proposta da Dasa que é o de fomentar o desenvolvimento aqui no Vale do Mucuri’’, ressaltou Rocha.

Além do propósito de fomentar uma economia pujante, que traga desenvolvimento do setor sucroenergético no Vale do Mucuri, a Dasa também direciona seu foco ao avanço na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Por conta disso, a empresa busca o crescimento para oferecer cada vez mais ao mercado, oportunidade de emprego e bem-estar às comunidades por onde atua e que, no conceito de sua diretoria, traz garantia e segurança àqueles que vivem do cultivo e da industrialização da cana.
Outro ponto que Délio Nunes Rocha destacou foi o fato de que na história da empresa há inúmeros exemplos de superação. ‘‘Sempre tivemos que lutar muito para resolver os problemas que encontramos pelo caminho, desde que a Dasa foi fundada. Hoje, já experientes no ramo, continuamos a batalha de sempre, não porque deixamos de aprender, mas porque problemas são comuns na vida de todo mundo e as empresas não são diferentes. Nossa equipe é treinada e capacitada para solucionar e superar os percalços que surgem e é assim que a gente vence. Por isso que conquistamos a confiança do mercado’’, ressaltou Rocha

Segundo ele, a empresa deverá inserir no mercado cerca de 50 milhões de litros de álcool, além de injetar algo em torno de R$ 100 milhões na economia da região. ‘‘Sou imensamente grato a todos, que de certa forma contribuíram para que isso acontecesse. Vejo que a usina exerce papel importante aqui nesta região do Estado e como tal, devemos manter o compromisso de dar continuidade ao processo de mantê-la viva para oferecer a segurança de emprego ao nosso povo. São mais de 1000 vagas de trabalho nos diversos setores de produção da empresa e eu falo de empregos diretos, ainda temos que somar a esses, os indiretos que trabalham para que a Dasa tenha os insumos de que precisa para manter a empresa em atividade.’’

O empresário também comemora a possibilidade do governo brasileiro liberar a venda de álcool aos postos de gasolina por parte das usinas. Ele revelou que o Projeto já foi aprovado pelo Senado Federal e que agora tramita na Câmara dos Deputados. Ele prevê até uma consistente melhora nos preços já que as usinas ficarão autorizadas a abastecer os postos e com isso, promover a livre concorrência.
Segundo informações, os produtores, em 2018, investiram R$ 11.5 milhões no plantio de cana. ‘‘Temos que agradecer primeiramente a Deus por ter nos abençoado com chuvas suficientes para molhar os nossos campos para assim, a cana produzir abundantemente e em segundo lugar ao homem do campo que é um bravo. Ele acredita, ele vai à luta e nunca desanima. Fico feliz em ver essa relação que ele tem com a terra e o prazer de tirar dela o sustento para sua família.’’

O jornal EM TEMPO quis saber sobre a possibilidade da Dasa produzir açúcar ainda em 2018. O empresário disse que os preços de mercado do produto são altamente desfavoráveis e que a Dasa está mesmo focada na produção de combustível. Porém, Ele prometeu reavaliar a possibilidade de reativar a produção de açúcar assim que o mercado sinalizar uma melhora de preços.

Objetivando maior participação no desenvolvimento da agricultura, empresários do setor rural se mobilizam, destinando investimentos ao cultivo de cana para abastecer usinas que operam na região, fato que dá segurança ao setor industrial de que haverá um futuro voltado ao crescimento.
Dessa forma, canaviais se espalham pela região, testemunhando a crença de dias melhores e no fortalecimento da economia no Vale do Mucuri. ‘‘A reativação da Dasa mostra sua importância no cenário
sucroalcooleiro nacional e dessa forma, a empresa contribui para a melhoria da qualidade de vida da
população no Vale do Mucuri ao gerar emprego e distribuição de renda, tornando inevitável o aquecimento da economia com um comércio mais sólido em todos os setores’’, define Délio Nunes Rocha.

(Fonte EM TEMPO)

Tópicos


Publicidade

Últimas Notícias