Publicado em 02/07/2017 às 00h54

ONG TOMA PRIMEIRAS PROVIDÊNCIAS EM DEFESA DA PRAÇA

Entidade aciona órgãos federais e internacionais para intervir na decisão municipal

4703

Graziela da Rocha Handan, coordenadora do Greenday Internacional em Nanuque

A Greenday Internacional, através do seu presidente Luiz Florentino, informou ao jornal EM TEMPO que já deu início às primeiras medidas com objetivo de defender a preservação da Praça Professor Otto (Praça dos Estudantes), na cidade de Nanuque. Ele contou que a coordenadora da entidade em Nanuque, Graziela da Rocha Handan, enviou solicitação de Embargo Administrativo em Defesa do Meio Ambiente em Nanuque, ao secretário-geral da ONU, Antônio Guterres. No documento, Graziela expõe o ato ambientalmente criminoso e de proporções ambientais irreparáveis para a natureza. “Nem mesmo para a construção de uma delegacia, pode uma praça pública ser ocupada, total ou parcialmente. Praças verdes assim instituídas, quando aprovado o plano de loteamento, não podem ter sua destinação alterada para, mediante desafetação, ser no local construído delegacia, sob pena de dano ao meio ambiente, com supressão de área verde, e urbanístico”, diz o documento.

A doação do terreno da praça à Polícia Civil do Estado de Minas Gerais fere o Artigo 225 da Constituição Federal que assegura a todos o direito ao meio ambiente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defende-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Por ser a referida praça uma área arborizada, sua doação para a construção de um edifício agride uma área verde que se destina à preservação ambiental.

“A medida do prefeito Roberto de Jesus é no mínimo irresponsável com relação ao meio ambiente. Sua atitude desrespeita gerações futuras. Se não tivemos competência transformadora para tornar a referida praça num ambiente agradável para poder receber os munícipes nos seus momentos de lazer, não implica dizer que prefeitos do futuro não desejarão ter o local para construir algo de que a cidade venha se orgulhar”, disse um funcionário da Prefeitura que pediu para não ser identificado. “Guardando as devidas proporções”, diz o funcionário, “é como se o prefeito de São Paulo doasse o Parque Trianon (extensa área verde, com árvores nativas da Mata Atlântica, localizado na Avenida Paulista, centro da cidade) ao Governo do Estado para a construção de um presídio. É como se o prefeito de Nova York doasse o famoso Central Park para a construção de um edifício para abrigar departamentos do governo.”

Vereador Aranha Ruas, defensor da Praça dos Estudantes.

A coordenadora do núcleo da Greenday Internacional em Nanuque, Graziela da Rocha Handan, disse ter recebido a notícia da votação alguns minutos antes e, por conta disso, não houve tempo para tomar as medidas cabíveis no sentido de impedir a doação da praça. Ela conta que a área tem árvores em extinção e que precisam ser preservadas. “Nanuque hoje possui somente 3,8% da Mata Atlântica. Tudo está sendo tirada da cidade e nada sendo doado para Nanuque. Outro ponto que o pessoal fica comentando é que aqui é local de crime, mas as estatísticas revelam que dos assassinatos ocorridos em Nanuque, nenhum ocorreu nesta área. O que a Greenday propõe é a recuperação da praça, com obras de artes e outros atrativos para podermos trazer nossos filhos para brincarem aqui. A praça não é só ambiente, mas é cultura também. Nanuque está perdendo sua identidade cultural, está perdendo tudo. É bom que se frise que ninguém está contra a Delegacia Regional, mas é preciso ressaltar que existe na cidade, outros lugares para instalar aquele departamento. Nossa manifestação é pela não construção de uma delegacia aqui na praça. Nós estamos tirando do jovem todas as opções que ele precisa para ter uma vida sadia e o lazer é uma opção primordial para que ele possa desenvolver sua identidade.

Para Clemente da Silva, que atua na área de reciclagem, a cidade tem inúmeros terrenos para a construção de um prédio que possa abrigar a Delegacia Regional. “Eu não estive na reunião da Câmara no dia em que foi aprovado a doação da praça. Nós não somos contra a Delegacia Regional, mas é preciso que o governo municipal olhe com carinho, com respeito e dignidade ao povo de Nanuque e não dispor de uma praça para esse fim. A praça tem que ser renovada, fazer benfeitorias. Existe várias áreas sobrando por aí. O vereador Aranha está de parabéns por estar encampando essa campanha.”

Clemente reclama o fato da Câmara não ter feito uma consulta popular para debater o assunto. “Votaram o projeto sem consultar o povo. Temos no entorno dois colégios, uma igreja e outros pontos comerciais e a vida da Delegacia para cá irá provocar um desconforto para o ir e vir das pessoas”, finalizou.

(Fonte SALVADOR LIMA)

Tópicos


Publicidade

Últimas Notícias