Publicado em 30/06/2020 às 08h35

VALE DO MUCURI SOFRE COM INÉRCIA DO GOVERNO DE MINAS

Estradas deterioradas prejudicam o agronegócio na região

609

DESCULPE! INFELIZMENTE AQUI É MINAS GERAIS - FOTO ARQUIVO

O agronegócio mineiro contribuiu com quase 50% do saldo da balança comercial do estado. Os produtos agrícolas fecharam o primeiro quadrimestre de 2020 com um superávit de US$ 2,18 bilhões, valor que corresponde a 48% do saldo de todos os setores no estado. Esse resultado vem atrelado ao desempenho das exportações (US$ 2,41 bilhões), apesar da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Os dados integram o Relatório do Comércio Exterior do Agronegócio de Minas Gerais, produzido pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

SITUAÇÃO DA RODOVIA EM 2019 - FOTO: ARQUIVO

COMO SE ENCONTRA NO DIA DE HOJE - FOTO: EM TEMPO

Nanuque já se transformou num importante polo exportador de proteína animal em Minas Gerais, através do Frigorífico Rio Doce S/A (Frisa). No entanto, a empresa tem enfrentado dificuldades para transportar insumos – animais para abate, transportar carne bovina para ser embarcada nos portos de Vitória e Rio de Janeiro.

Empresários do setor produtivo do Vale do Mucuri têm direcionado pesadas críticas ao governo mineiro pela falta de interesse na reconstrução da rodovia LMG-719 que está há muito tempo, intransitável. O trecho de 7 quilômetros liga Nanuque à divisa do Espírito Santo, mas tem uma importância muito grande para o tráfego da produção destinada à exportação. Por conta do seu estado de abandono, caminhões com mercadorias têm optado pela BR-418 para se chegar à BR-101 e isso contribui para aumentar a distância nas viagens para Vitória, gerando, portanto, inúmeros prejuízos com o consumo de combustível.

As reclamações foram tantas que ecoaram no Governo do Estado. Tanto que o secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Marco Aurélio Barcelos, prometeu que o DER/MG, realizaria um serviço de recuperação do piso asfáltico para que ele tivesse boas condições de tráfego, porém, a promessa já faz quase um ano.

REUNIÃO NA SEINFRA COM O SECRETÁRIO MARCO AURÉLIO, DIRETORIA DO FRISA, VEREADOR SIDNEI PEREIRA, RENATO LOUZI E O DEPUTADO ESTADUAL CARLOS PIMENTA, EM NOVEMBRO DE 2019 - FOTO: ARQUIVO

O prejuízo é ainda maior para o setor comercial da cidade, pois a rodovia é uma das portas de entradas para o estado de Minas. “Em tempo de pandemia e com a queda nas vendas e, somando-se a isso uma rodovia intransitável, só afugenta mais os consumidores capixabas que usam nosso comércio para se abastecerem. Estamos sofrendo muito com o descaso do Governo de Minas. Pagamos nossos impostos, queremos investir ainda mais, mas nossa percepção é que estamos ilhados e abandonados pelo governador”, pontuou o empresário Carlos Silva.

LEIA TAMBÉM:

Má conservação da LMG-719 prejudica a economia regional

Carnes

O setor da agropecuária que manteve boa representatividade nas exportações no primeiro quadrimestre foram as carnes. Elas registraram vendas de US$ 286,29 milhões e 84,65 mil toneladas, acréscimo de 14,3% e 3,9%, respectivamente.

Ainda de acordo com o Relatório do Comércio Exterior do Agronegócio de Minas Gerais, as vendas de carne bovina já apresentavam bom desempenho desde 2019, devido à demanda dos países asiáticos, principalmente a China.

(Fonte EM TEMPO)

Tópicos

veja também


Publicidade

Últimas Notícias